Noivo tagged posts

Os votos

Esta semana revi pela terceira vez (!!) o filme “The Vow”, que por aqui chegou como “Para Sempre”.  Engraçado como em cada uma das vezes, um mesmo filme nos leva para lugares (e pensamentos) diferentes, sendo visto em cada uma delas por um novo ângulo. Ok, ok, eu confesso: o ângulo do Tatum é sempre o mesmo (amor, me desculpe, você sabe que a minha história com ele é antiga…rsrs). Só sei que desta vez me peguei feliz pensando com os meus botões: “ainda bem que os votos começaram a ser elaborados pelos próprios noivos!”. Não me lembro exatamente em que período isto começou a acontecer, em que momento da história os votos tradicionais lidos pelos padres deram lugar aos corações apaixonados, doidos para externar o seu amor. Só sei que eu me peguei feliz quando revi a cena dos votos!!

IMG_6248

Ela: “Eu me comprometo a ajudá-lo a amar a vida, a sempre abraçá-lo com ternura, e ter a paciência que o amor exige. Para falar quando palavras forem necessárias, e compartilhar o silêncio quando não forem. Para discordar em concordar sobre o bolo red velvet. E viver no calor do seu coração, e sempre chamar de lar.”

Ele: “Eu me comprometo a amá-la seriamente, em todas as suas formas. Agora e para sempre. Prometo que nunca vou esquecer que esse é um amor para a vida toda. E sempre sabendo, na parte mais profunda da minha alma, que não importam os desafios que venham a nos separar, sempre encontraremos um caminho de volta para o outro.”

 Simples.

Puros.

Verdadeiros. (Como os votos devem ser).

A maioria dos meus noivos escrevem os votos na semana do casamento, ou na véspera do  grande dia. Por motivos diversos. Medo de não atender a expectativa do outro, dúvida sobre o que exatamente falar ou até mesmo pela pura correria do trabalho e da vida!

Parece clichê dizer isto, mas não existe dificuldade! Quem melhor do que você para falar sobre ele ou para ela? Curto ou longo, não importa o tamanho do texto. Não precisam nem se preocupar com a linguagem! Sendo a história e o sentimento de vocês somente, vale até usar o “dialeto próprio” (e qual casal não tem a sua própria linguagem?)! O importante é que ela entenda, e que você compreenda. Basta. Os convidados estarão presentes como meras testemunhas de um amor que já está consumado: no dia-a-dia, na convivência, nos bons e maus momentos que a vida traz, e que juntos devemos contornar. Se eles estão ali, realmente presentes, e foram convidados pelos motivos certos: amizade, elo familiar, ligação “de outras vidas”, não importa nem se vocês falarem baixinho um para o outro – contanto que depois eles possam comemorar junto com vocês em alto e bom som!!

Os votos são para dois, não para o mundo. Voto é promessa, manifestação de vontade, então melhor um noivo tímido que mal consegue falar o que sente na frente do Celebrante, do que o expansivo cheio de desenvoltura que não cumpre o que diz. Deixa o seu noivo falar duas linhas, e leia você um testamento. Permita que ele leia no celular, se o iPhone for o melhor amigo dele, e leia você no papel de gramatura 300g, texturizado e perfumado. Ou leia no papel de carta da sua infância, quando você já acreditava em príncipe encantado. Que ele tenha o direito de tirar o papel do bolso, amassadinho, e mesmo que ele conte aquele “causo” que te deixa loucamente sem graça, faça desta hora um momento de significado e se importe com o que realmente importa: que as palavras tenham o sentido real do que motivou vocês a chegarem ali: naquele metro quadrado de pura ansiedade para ouvir o sim! Se este momento será regado a um exagero de lágrimas, gagueira ou risadas cheias de nervosismo; se você não fica bonita quando chora (porque a sua boca entorta), ou ele chora engraçado e todo mundo ri – esqueçam a foto, o “short film”, ou o que as pessoas irão pensar se vocês assumirem os apelidos, ali, na frente de todo mundo. O amor pra ser eterno precisa de honestidade: de intenção e de alma. Por isso sejam originais: sejam vocês mesmos! Desta forma, assim como no filme, ambos terão sempre motivos para retornar – um para o coração do outro…

Lapelas diferentes, noivos sensíveis

Eu amo cinema, quem me conhece sabe … e quem não me conhece tão bem, também ! rs Hoje pensando no texto sobre lapelas lembrei do poema lido por Cameron Diaz no filme “In her shoes”, de Tony Scott, ou  “Em seu lugar” aqui no Brasil. O poema é do poeta E. E. Cummings e traduzido significa “Eu levo o seu coração comigo”.

“eu levo o seu coração comigo (eu o levo no 
meu coração) eu nunca estou sem ele (a qualquer lugar 
que eu vá, meu bem, e o que que quer que seja feito 
por mim somente é o que você faria, minha querida) / tenho medo / que a minha sina (pois você é a minha sina, minha doçura) eu não quero
 nenhum mundo (pois bonita você é meu mundo, minha verdade) 
e é você que é o que quer que seja o que a lua signifique
 e você é qualquer coisa que um sol vai sempre cantar / aqui está o mais profundo segredo que ninguém sabe 
(aqui é a raiz da raiz e o botão do botão 
e o céu do céu de uma árvore chamada vida, que cresce 
mais alto do que a alma possa esperar ou a mente possa esconder) 
e isso é a maravilha que está mantendo as estrelas distantes / eu levo o seu coração (eu o levo no meu coração).”

lapelas 01

O uso da lapela (ou boutonnière) surgiu no século XIX , quando o príncipe Albert em seu casamento com a rainha Vitória fez um pequeno corte no paletó, para guardar o ramalhete de flores que recebeu dela. A finalidade era sempre lembrar da sua amada ao sentir o aroma das flores. Muitos esquecem ou não sabem que o surgimento da mesma deu-se por amor e romantismo.

lapelas 03

Lapelas diferentes, noivos sensíveis. Por mais que o noivo esteja usando algo original a pedido da noiva, já parta do princípio de que ele ACEITOU usá-lo, e com isto demonstra o desejo também de contar a sua história, de ser parte do todo, ou até de se mostrar como figura importante naquele casamento. São sensíveis sim porque mostram paixão ! Seja na homenagem a um ente querido que se foi, seja ao prender um coração pra dizer que ele bate forte por aquela bela mulher que desliza até ele, ou, uma chave demonstrando que só ele tem o caminho para o coração dela; seja simplesmente pra “contar” aos seus convidados que ele tem um hobby : música, fotografia, basquete … e todo hobby não é uma paixão ?!

lapelas 02

Fato é que os noivos já não são mais acompanhantes da figura principal noiva, eles ganharam seu lugar ao sol, no altar ! E mostram a que vieram: pra encantar a noiva e aos seus convidados, pra homenagear um amor. Noivos sensíveis usam lapelas diferentes. Eles as carregam, e aos seus amores, perto do coração …  “eu levo o seu coração comigo …“.